A recente reorganização societária do Grupo JSL faz parte da estratégia da companhia de gerar valor por meio da separação de suas atividades em operações distintas, englobando principalmente a locadora de carros Movida e a de caminhões Vamos.

Em julho de 2020, a atividade de holding, que até então era realizada pela própria JSL, passou a ser exercida pela Simpar, que consolidou as participações acionárias e a equipe corporativa com o objetivo de direcionar, acompanhar controlar a execução dos planos de negócio das companhias controladas, desenvolver novos negócios e segmentos de atuação e assegurar 0 alinhamento de valores, cultura e modelo de gestão.

Desta maneira, 2020 será lembrado como um divisor de águas para a organização, que apesar da crise seguiu rumo à expansão. A companhia com listagem na bolsa de valores brasileira B3 (JSLG3), comprou a Transmoreno, de São José dos Pinhais, por R$310 milhões, enquanto a Vamos anunciou a aquisição de 1350 caminhões Volkswagen, na maior operação do gênero já vista no país.

Encerrando o terceiro trimestre com lucro líquido consolidado de R$ 17,4 milhões, o resultado é 176% maior que o do mesmo período do ano passado, quando lucrou R$ 6,3 milhões. Números impulsionados, primeiramente, pelo crescimento de 12,4% do lucro líquido das operações de logística, que passou para R$ 25,4 milhões.

Entre 2014 e 2019, o Grupo JSL apresentou crescimento de 77% da receita consolidada para mais de R$ 10,7 bilhões, atingindo, em 2019, Lucro Líquido recorde de R$ 319 milhões como resultado dos novos contratos e investimentos realizados e da transformação organizacional com maior autonomia e independência às empresas. No mesmo período, a economia brasileira apresentou queda de 3% do PIB, evidenciando a resiliência dos negócios do Grupo.

“2020 marcou a história da JSL Logística, que se tornou uma empresa independente, realizou seu IPO e concretizou investimentos na plataforma tecnológica que a preparou para um novo ciclo de crescimento, não somente orgânico, que consolidará, ainda mais, sua liderança como maior e mais integrado portfólio de serviços logísticos do Brasil”, diz Fernando Antonio Simões, CEO da companhia.

O executivo e empresário atua na Companhia desde 1981 e também é diretor-presidente e membro do Conselho de Administração da SIMPARS.A., controladora da companhia, na qual Simões detém 54% de participação.

Fonte: Lide (digitalizado) – Impresso – Flip