Prefeito Melo esteve na sede do grupo JSL, um dos principais empregadores do município.

Com o objetivo de conhecer as necessidades de empreendedores para poder contribuir com o processo de investimentos e crescimento dos negócios, o prefeito Marcus Melo (PSDB) tem realizado uma série de visitas às empresas e indústrias. A meta é fazer a cidade movimentar os setores produtivos para gerar emprego e renda.

Nesta última semana, Melo movimentou a sede administrativa do Grupo JSL, em Braz Cubas, onde foi recepcionado pelos diretores executivos Fabio Velloso (JSL), Flávio Salles (Movida) e Rafael Gomes (Vamos) e pelo CEO da CS Brasil, João Bosco Ribeiro. Um dos mais antigos conglomerados empresariais mogianos, o JSL iniciou as atividades na cidade em 1956, de onde expandiu sua atuação para 16 setores da economia, no país inteiro e América Latina. De capital aberto, conta com cerca de 24 mil colaboradores, sendo aproximadamente 3,5 mil em Mogi.

“É fundamental conhecer bem essas empresas, saber de suas perspectivas de avanço, do plano de investimentos e das dificuldades que enfrentam. Assim, podemos estudar meios de ajudar para destravar burocracia e tornar nossa cidade mais atrativa para receber novos negócios”, explicou o prefeito Marcus Melo, ao pontuar que o desenvolvimento empresarial representa geração de mais empregos e renda, além de ampliar a arrecadação de impostos que são transformados em melhorias nos diversos setores sociais.

Um estudo do grupo empresarial mostra que as empresas da JSL em Mogi recolhem quase R$ 3 milhões de tributos por ano. Cerca de 1/3 do montante corresponde a impostos municipais e o restante integra o bolo tributário estadual com receita que retorna à cidade de acordo com Índice de Participação dos Municípios.

“Os investimentos tão necessários em áreas vitais como saúde, segurança e educação dependem dessa receita tributária que, assim como a oferta de empregos, cresce à medida que as empresas confiam e investem em Mogi”, resumiu Melo.

Concordando com a análise do prefeito, o diretor executivo da JSL, Fabio Velloso, é enfático: “A boa qualidade do relacionamento entre Prefeitura e empresários viabiliza o entendimento adequado das demandas e permite construir soluções sustentáveis, capazes de gerar bons resultados para a empresa, população e para o desenvolvimento econômico da cidade”.

Presidido por Fernando Simões, o grupo é formado pela JSL Logística, Vamos (aluguel e venda de caminhões e de equipamentos agrícolas), Movida (locadora de veículos), Original Veículos (concessionária), BBC (serviços financeiros) e a CS Brasil, que presta serviços de locação de frota, limpeza pública e transporte urbano. No País, o grupo é o maior comprador de caminhões e insumos de transporte rodoviário. São mais de 8 mil caminhões na frota da JSL e 100 mil veículos na frota da Movida.

 

Memória
O prefeito também esteve no Centro de Memória e Cultura Julio Simões,que destaca a história do fundador do grupo, o empresário Julio Simões. Uma réplica do primeiro caminhão, comprado na década de 50 pelo “Seu Julio”, para transportar hortigranjeiros inspira os visitantes a “refletirem sobre o significado do trabalho associado à força de vontade”, como definiu Marcus Melo.

O Centro de Memória é frequentado por alunos das escolas municipais de Mogi, que participam do projeto “Você quer? Você pode!” , iniciativa do Instituto Julio Simões, responsável pelo apoio a projetos socioculturais na cidade.

Fonte: O diário de Mogi das Cruzes